Transportes ferroviários e alfândegas: os principais obstáculos ao desenvolvimento do sector logístico em Portugal

Transportes ferroviários e alfândegas: os principais obstáculos ao desenvolvimento do sector logístico em Portugal

No seguimento do evento organizado pela APLOG e KPMG de apresentação das conclusões do estudo “A Logística em Portugal – Inovação, Tendências e Desafios do Futuro” destacamos estes dois parágrafos:

As empresas clientes de serviços logísticos, englobadas neste estudo, identificaram um conjunto de desafios associados à gestão e reconfiguração das suas cadeias logísticas, que de uma forma geral, se alinham com as principais tendências globais desta área, nomeadamente, a intensificação da volatilidade e incerteza na procura, o efeito da omnicanalidade e da digitalização, e a premência na sustentabilidade das operações, tendo identificado alguns aspetos críticos associados aos constrangimentos do contexto português e às limitações da oferta de serviços logísticos em Portugal.

Na vertente negativa, há uma diminuição de performance em customs infrastructuresendo de evidenciar os constrangimentos nos processos alfandegários, a burocracia e os tempos a ela associados, não sendo muitas vezes compatíveis com a necessidade de crescimento de uma economia que quer privilegiar a exportação, e por outro lado, ao nível das infraestruturas. Muito ainda há a fazer na intermodalidade e na eficiência das operações ao serviço de corredores e fluxos logísticos.

Que refletem a importância da digitalização e por outro os constrangimentos decorrentes quando um dos intervenientes da cadeia logística não se adapta aos mesmos.

Para saber mais clique aqui e leia a matéria publicada no Jornal Económico

A equipa MAEIL